Carro: legislação e a personalização

carro

Carro: legislação e a personalização

O cuidado com carro é composto de muitos processos como as manutenções que verificam a qualidade da bateria automotiva 60 amperes, o poder dos motores e a eficiência dos freios. Além das manutenções, as pessoas costumam trazer sua personalidade ao carro.

Isto acontece porque o carro é muito mais que um objeto de transporte, mas também significa um estilo de vida.

A personalização de carros então vem se tornando uma tendência e ganhando cada vez mais seguidores, principalmente, porque os donos conseguem deixar os carros de acordo com os gostos e necessidades, desde tornar o carro mais rebaixado ou estilo blindado com os vidros com CR blindado exército.

Por conta disso surgiu um mercado grande e que criou oficinas especializadas. Assim, surgiu diversos termos relacionados a este mundo como personalização, customização e tunning. Por conta disso, as autoridades também criaram leis que precisam ser seguidas para essas alterações.

Neste artigo entenderemos as diferenças entre personalização carros, customização e tunning e o que é permitido ou não pelas autoridades e que precisam de autorização para serem realizadas.

Diferenças de personalização de carro: customização e tunning

No grande campo da alteração das peças originais surgiram três tipos principais de processos que são parecidos, mas não são iguais. A personalização é criar algo único e pessoal, ou seja, as alterações são feitas pelo próprio condutor.

Já a customização consiste no sentido de adaptação, ou seja, é fazer com que o carro siga o gosto ou a necessidade de alguém. É feito por uma terceira pessoa e adequá ao gosto do cliente.

Há vários tipos de estilos de customização, uns optam pelo veiculo rebaixado, outros por colocar novas suspensões, mas, apesar dos estilos é sempre possível criar o seu próprio.

Abaixo falaremos sobre dois tipos de customização.

1. German Look ou Euro Look

Essa customização nasceu nos anos 70 e são as mais admiradas no mundo. Surgiu na adaptação dos Fuscas para que pudessem correr nas famosas autobahns alemães.

De início a potência era o objetivo desse estilo, porém, isto foi se alterando criando características únicas como:

  • Manter o carro original em sua maioria;
  • Suspensão rebaixada;
  • Rodas largas;
  • Motores muito fortes.

2. Hot rod

Esse modelo de customização surgiram na década de 40 e 50 de jovens que adaptavam carros das décadas de 20 e 30.

As principais características são os tetos rebaixados, suspensões alteradas e rebaixadas, algumas pessoas optam trocar de banco, V8 potentes, pintura fosca com imagens de chama.

Já o tunning é um tipo de customização e não a customização em si, como é referida muitas vezes no Brasil. O tunning é uma transformação agressiva do carro, em que suas características originais são perdidas.

A legislação e as alterações no carro

No Brasil assim como em outros lugares do mundo existem algumas legislações sobre a alteração nos automóveis, e em muitos casos antes da alteração é preciso avisar e adequar as legislações.

Assim como a troca de óleo automotivo garante que o carro tenha uma lubrificação mais adequada, adequar a alteração do carro com as legislações do carro evita grandes ônus como multas. Abaixo falaremos sobre o que pode e o que não pode pela legislação.

Lembre-se, toda alteração que visa alterar ou modificar mais que 70% do veículo (dependendo do tipo de alteração) é necessário regularizar frente ao DETRAN – Departamento Estadual de Trânsito.

1. Rebaixamento do carro

O rebaixamento do carro é permitido pela legislação, porém, há limites que devem ser respeitados.

Para que esteja dentro da lei há uma altura mínima que o carro tem que seguir, esta altura é de 100 mm entre o solo e o ponto mais baixo da carroceria.

2. Insufilm

O insufilm é permitido por lei, porém, por ser um material que escurece o carro cria problemas com a fiscalização, deste modo, existem modelos que podem por lei.

No para-brisa a legislação deseja 75% de transparência, nos vidros dianteiros laterais com 70% e 50% de transparência para os vidros laterais traseiros e o vidro traseiro de 28% de transparência.

3. Faróis de xenom

Os faróis de xenon são lâmpadas sem filamentos que garantem maior brilho e intensidade, porém, não possuem sistema antiofuscamento como as lâmpadas que vem de fábrica, deste modo são proibidos pela legislação, especificamente do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Assim, entendemos que para a personalização dos veículos existem muitos estilos e que é fundamental conhecer a legislação para que a alteração seja legal e não gere problemas para o motorista.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *